CD Casual Solo

Faixas

  • 1 - Alma de Lia (Marcello Gonçalves e Moyseis Marques)
  • 2 - Horizonte Melhor/ Aqui, ó (Luiz Carlos da Vila e Adilson Victor/ Toninho Horta e Fernando Brant)
  • 3 - Minha Esquina (João Nogueira e Paulo César Pinheiro)
  • 4 - Amor de Sol Nascente (Moacyr Luz e Moyseis Marques)
  • 5 - És/ The Very Thought of You (João Callado e Moyseis Marques/ Ray Noble)
  • 6 - Anjo Exterminado (Jards Macalé e Waly Salomão)
  • 7 - O Ciclo da Rosa (Vidal Assis e Moyseis Marques)
  • 8 - Is This Love? (Bob Marley)
  • 9 - Nomes de Favela (Paulo César Pinheiro)
  • 10 - De Lupa na Lapa (Moyseis Marques e Mauro Aguiar)
Ano: 2014

CD Casual Solo




     Casual Solo

Voz e violão é uma solidão sem vazio. A melancolia faz rimar Alma de Lia e o instrumento, misturado na voz limpa, filtra pro melhor da nossa emoção. O parágrafo solto tenta explicar os acordes abertos na dicção perfeita desse artista puro, Moyseis Marques.
Um repertório ousado, Luiz Carlos da Vila e Toninho Horta na mesma faixa, entoando clássicos musicais com "És", autoral e introduz o britânico Ray Noble, ponte entre gerações, na cortina aberta pra mesma cena.
O disco transborda pessoal, mas influências são bem vindas. Quando canta "Minha Esquina", relembra o criador João Nogueira em tônicas cariocas até o clarone se aproximar da Lapa, uma história suburbana. É Moyseis Marques dobrando essa ponta de rua, sinal verde pra seguir sua vida.
Outra referência marcante e de se orgulhar, buarquiana, bate a porta em "O Ciclo da Rosa" mantendo o melhor da música brasileira, valsa de saraus. O artista antenado regrava Jards Macalé e Waly Salomão, um "Anjo Exterminado" em samba. Manifesto tropicalista, recebe tamborins invisiveis e borda seu nome na pós-canção.
O "Amor de Sol Nascente" é uma parceria nossa. Toada pra subir Santa Tereza em paz, falando de amor, falando de convívio e natureza.
Apostar uma interpretação de Bob Marley em "Is This Love" é a certeza da maturidade. Perfeita, reverbera o calor de novos tempos, reggae e Brasil, pintados de diversidade. Bom de ouvir.
Regrava "Nomes de Favela" seu primeiro passaporte. Música toda feita por Paulo Cesar Pinheiro, abraçada por Moyseis nos palcos Cariocas, da Gema, do Samba, Luzia, de Mangueira, do Morro dos Prazeres.
O disco termina autoral, "De Lupa na Lapa" com achados do letrista Mauro Aguiar. Talvez venha daí o título "Casual Solo". É permitido ser blues, ser samba, ser evocatico, ser jamaicano, ser Lapa, ser Califórnia, ser todos e ser solo sem jamais se encontrar vazio.

Moacyr Luz é cantor, compositor, cronista e escritor